PROJETO RODA HANS: CARRETA DA SAÚDE-HANSENÍASE ESTEVE EM ITUVERAVA

Menu

Prefeitura


Município


Servidor Publico


Telefones Úteis


Cartório Eleitoral (16) 3839-3103
Centro de Saúde – (16) 3830-4100
Correios – (16) 3729-6990
CPFL – 0800 101010
Delegacia de Polícia – (16) 3729-4128
Hospital – (16) 3839-1311
Polícia Militar – (16) 3839-7740
Prefeitura Municipal – (16) 3830-7000
SAAE – (16) 3830-5500
Santa Casa (16) 3830-1200

← Voltar para notícias



Postado dia outubro 21, 2019 por


Nos dias 14, 15 e 16 de outubro, a cidade de Ituverava recebeu o Projeto Roda Hans: Carreta da Saúde-Hanseníase, através de uma parceria entre a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, e o Ministério da Saúde.

O projeto tem o objetivo de diagnosticar precocemente casos de hanseníase, seus sinais e sintomas, além de oferecer um atendimento qualificado e iniciar o tratamento da doença.

A carreta, que esteve estacionada na Praça Deputado Hélvio Nunes da Silva (Praça do Centro Cultural), contém consultórios, posto de coleta de exames, e conta ainda com uma equipe especialista na doença.

Em Ituverava, foram realizados 75 atendimentos nos três dias de evento. Além da equipe do Projeto Roda Hans: Carreta da Saúde-Hanseníase, o atendimento contou com a participação de parte da equipe da Secretaria da Saúde e da Atenção Básica e dos médicos do Revalida (ITPAC). A ação foi acompanhada pela enfermeira Raquel Sicca, responsável pelo Programa de Hanseníase em Ituverava.

Na segunda-feira, dia 14, a prefeita Adriana Quireza Jacob Lima Machado acompanhou os trabalhos da carreta, acompanhada da secretária da Saúde, Janine Carvalho Ferreira Rokutan; e da médica Rossilene Conceição da Silva Cruz, que atua no projeto. Na quarta-feira, dia 16, a ação também contou com a presença do vice-prefeito, Dr. Alcides Antônio Maciel Júnior.

A Hanseníase é uma doença infectocontagiosa que atinge os nervos periféricos e pele, mas também pode acometer outros órgãos. Se não diagnosticada e tratada no início, a doença pode levar à incapacidade física.

Os sinais e sintomas mais frequentes da hanseníase são: manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas. Além de áreas com diminuição dos pelos e do suor. Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das perna; Inchaço de mãos e pés; diminuição sensibilidade e/ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos.

Em casos suspeitos, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda que os pacientes procurem a Unidade de Saúde mais próxima de seu bairro, que o encaminharão para o Programa de Hanseníase do município.

O diagnóstico de caso de hanseníase é essencialmente clínico e epidemiológico, realizado por meio do exame geral e dermatoneurólogico para identificar lesões ou áreas de pele com alteração de sensibilidade e/ou comprometimento de nervos periféricos, com alterações sensitivas e/ou motoras.

A doença tem cura e seu tratamento é gratuito, realizado pelo SUS. É feito por via oral, com uma associação de três antibióticos. Os medicamentos são seguros e eficazes. O paciente deve tomar a primeira dose mensal supervisionada pelo profissional de saúde. As demais são autoadministradas. Ainda no início do tratamento, a doença deixa de ser transmitida. Família e amigos, além de apoiar, também devem ser examinados.

A transmissão da doença ocorre pelas vias aéreas superiores (tosse ou espirro). Apenas as pessoas doentes, que não estão em tratamento, transmitem a hanseníase. A doença é transmitida de pessoa para pessoa.